Crédito

Instituições facilitam acesso a capital de giro para empreendedores

A Agência de Fomento do RN (AGN) zerou os juros para empréstimos a MEI’s no valor de até R$ 6 mil. Bancos oficiais e outras instituições financeiras estão com medidas ampliadas.

Ruth Maia aponta as principais medidas adotadas pelos bancosNatal – Desde o início do processo de contenção ao avanço do vírus Covid-19 (Coronavírus), as instituições financeiras do país se mobilizaram para garantir a oferta de crédito a empreendedores, afrouxamento das regras de concessão, redução de taxas de juros e alongamento dos prazos de carência. Apesar de as agências bancárias não estarem funcionando 100%, é possível obter o empréstimo via canais alternativos.

A boa notícia em meio ao cenário de retração de consumo e da economia em geral é que a maioria das instituições dispõe de recursos para ajudar o empresariado a superar o momento de adversidade, principalmente na modalidade capital de giro, que serve para o custeio geral do empreendimento e pagamento da folha de funcionários.

_Olho_

A especialista em crédito do Sebrae-RN, a analista Ruth Suzana Maia, listou as principais alterações nas linhas de crédito dos principais bancos e instituições que atuam no Rio Grande do Norte e que podem socorrer o empreendedor em caso de dificuldade financeira. “De um modo geral, as instituições como um todo estão facilitando a obtenção do crédito para os pequenos negócios”.

Segundo ela, um dos destaques é a linha de financiamento destinada àqueles que mais estão sofrendo com a debandada de clientes devido ao período de quarentena, os Microempreendedores Individuais (MEI). A Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN) disponibiliza uma linha de crédito de até R$ 10 mil para pessoas jurídicas dessa categoria. “Até R$ 6 mil a taxa de juros na AGN é zero. Eles estão verificando apenas a possibilidade de alongar o prazo de carência, mas o recurso é certo”.

Segundo Ruth Maia, o Banco do Nordeste do Brasil ampliou o crédito que era de R$ 50 mil para R$ 100 mil mediante avalista, sem a necessidade de garantia real. “Já Caixa conseguiu reduzir a taxa de juros para linhas de financiamento para capital de giro, porém precisa de garantia real”.

Confira as medidas dos principais bancos

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

*Liberação de R$ 30 bilhões para compra de carteira de crédito consignado e de financiamentos de carros de bancos médios, caso essas instituições financeiras tenham dificuldades; R$ 40 bilhões para capital de giro, principalmente para empresas do setor imobiliário e as pequenas e médias; e R$ 5 bilhões para o crédito agrícola.

*Prorrogação das dívidas

*Flexibilização de crédito e congelamento de cobrança de dívidas como uma forma de aliviar os impactos econômicos do coronavírus,

*Redução de juros para empresas de até 45% nas linhas de capital de giro, com taxas a partir de 0,57% a.m.

 Disponibilização de carência de até 60 dias nas operações parceladas de capital de giro e renegociação

 *Oferta de linhas de crédito especiais, com até seis meses de carência, para empresas que atuam nos setores de comércio e prestação de serviços, mais afetadas pelo momento atual

*Linhas de aquisição de máquinas e equipamentos, com taxas reduzidas e até 60 meses

ITAU

*Prorrogação de dívidas com a assinatura do Itaú Crédito Sob Medida, que permite a alteração da data original por até 60 dias. Quem já tem a linha contratada também pode renegociar o vencimento da sua próxima parcela, optando por pagá-la 60 dias depois da data originalmente acordada.

*Com a redução da taxa SELIC para 3,75%, o banco anunciou que iria reduzir suas taxas de juros para clientes pessoa física e jurídica, repassando o corte de 0,50 ponto percentual da taxa básica de juros para as suas linhas de crédito.

 

SANTANDER

*Ampliação em 10% o limite do cartão de crédito de todos os clientes adimplentes.

*Prorroga por até 60 dias o vencimento de parcelas de contratos de crédito, medida que abrange linhas de crédito pessoal (CP), preventivo, direto ao consumidor (CDC) e imobiliário.

 BRADESCO

*Prorroga por 60 dias as dívidas de operações em dia

*Com a redução da taxa SELIC para 3,75%, o banco reduziu as taxas de juros para clientes pessoa física e jurídica, repassando o corte de 0,50 ponto percentual da taxa básica de juros para as suas linhas de crédito.

 BANCO DO BRASIL

*Disponibilidade de R$ 100 bilhões para empréstimos a pessoas físicas, empresas e o agronegócio.

*Há recursos para compra de suprimentos e outros investimentos na área de saúde, eficiência energética, infraestrutura e viária, educação e saneamento para prefeituras municipais e governos estaduais

*R$ 48 bilhões são voltados especialmente para empresas, R$ 25 bilhões para o agronegócio e R$ 3 bilhões para administrações públicas municipais e estaduais. Os recursos irão reforçar as linhas de crédito já existentes, principalmente as voltadas para crédito pessoal e capital de giro.

BANCO DO NORDESTE

*Dispões de até R$ 1,5 bi de crédito para empresas.

*Eleva de R$ 50 mil para R$ 100 mil o valor das contratações sem a obrigatoriedade de vinculação de garantias reais. 21. Para o setor rural — agronegócio e agricultura familiar — será conferida priorização no atendimento às operações de crédito de custeio, considerando o calendário agrícola da região, e disponibilizados R$ 4,4 bilhões entre abril e setembro.

*Diminuição das tarifas cobradas, de acordo com o porte dos clientes; para microempreendedores urbanos, ampliação do prazo médio de cinco para sete meses e antecipação das renovações de operações a vencer entre abril e junho; e carência de até 60 dias para crédito pessoal.