Volta às aulas

Gestores de escolas e transporte escolar adotam lições de prevenção

O Sebrae está capacitando donos de escolas particulares de pequeno porte e motoristas do transporte escolar na área de bioprevenção antes da volta às aulas, prevista para agosto

A Escola Bambini adotou normas para garantir a segurança e saúde dos alunos na volta às aulasNatal – Desde o início do mês, o Sebrae no Rio Grande do Norte tem capacitado proprietários de pequenos estabelecimentos de ensino particulares e sensibilizado para adotarem os protocolos e medidas de bioprevenção no ambiente escolar. Com o anúncio da Prefeitura de Natal do reinício das aulas no dia 10 de agosto, empreendedores que atuam com transporte escolar também estão sendo capacitados para prestar o serviço com segurança no quesito prevenção contra o novo coronavírus (Covid-19). 

Mais de 85 escolas, principalmente as do nível de educação infantil, recorreram ao Sebrae para obter orientação quanto às mudanças na estrutura física e procedimentos necessários para receber os estudantes com atenção às boas práticas de saúde e higiene, dentro do Programa Reinicie de Bioprevenção. A Bambini faz parte deste grupo de escolas. O empreendimento é um dos que está com o Selo de Bioprevenção. Com 18 anos de mercado, a escola de educação infantil teve de fazer adequações e se preparar para receber os alunos no novo cenário surgido com a pandemia.

“Estamos montando um protocolo de biossegurança específico para nosso estabelecimento com o apoio do Sebrae. Tivemos de comprar todo material de uso individual, máscaras, álcool em todas as salas, tapetes higienizados, além de itens específicos para professores e colaboradores. A escola está toda sinalizada para assegurar o distanciamento. Estamos preparados”, avisa a assistente social Isabella Pereira. 

Com a pandemia, a escola passou sufoco, chegando a suspender contratos e reduzindo a carga horária do corpo funcional. Antes das medidas restritivas, a Bambini tinha 130 alunos matriculados, mas a pandemia provocou 49 cancelamentos. “Fizemos o que foi possível. Negociamos grandes descontos para os alunos que permaneceram, sem contar com a inadimplência, que chega a 5%. Fizemos acordos financeiros com nossos prestadores de serviços. Contudo, houve uma redução significativa no valor da receita”, conta Isabella Pereira. 

Setor de transporte escolar recebe capacitação virtualA escola Bambini está apostando na forma correta para abrir e recuperar as receitas perdidas com a crise do coronavírus. “Buscamos o Sebrae para garantir mais segurança à nossa comunidade escolar. O Selo de Biossegurança transmitirá mais credibilidade aos pais e funcionários. Estamos seguindo todas as orientações e iremos cumprir com todas as exigências do protocolo”, promete. 

Empreendedores e motoristas que fazem transporte escolar também estão na mira do Sebrae para não deixá-los de fora das capacitações nessa área Afinal são um elo fundamental no momento de volta às aulas e fuga dos locais aglomerados. A instituição vem realizando rodadas de capacitação com palestras virtuais da consultora Ana Patrícia Alves voltadas especificamente para esse público, que deverá atingir 90 empreendedores de várias regiões do estado. Até agora, 62 pessoas foram capacitadas. A última turma ocorre nesta quinta-feira (30), com 29 participantes.  

De acordo com a analista técnica do Sebrae-RN, Ana Ubarana, a metodologia envolveu essas duas web aulas com as orientações específicas para o setor e também foram confeccionados adesivos para sinalizar indicando que o transporte é seguro. O grupo recebeu um check list para enviar por aplicativo de mensagens para os pais dos alunos, garantindo protocolos de segurança também dentro do transporte escolar e dando credibilidade e confiança ao serviço. No site https://www.rn.sebrae.com.br/bioprevencao/, os empreendedores envolvidos no setor educacional podem fazer o download de cartilhas orientativas com as principais regras e procedimentos a serem adotados.