Inovação & tecnologia

Parcerias com o ecossistema de inovação garantem avanços ao RN

Na visita ao Rio Grande do Norte, o diretor-presidente do Sebrae, Carlos Melles, conheceu de perto as iniciativas inovadoras e constatou o ambiente legal que está sendo constituído com a Lei Geral do estado

Natal - Das iniciativas nas áreas de bioinformática e recursos de suporte ao desenvolvimento da indústria de energias renováveis às políticas públicas, elaboradas para favorecer o empreendedorismo e os pequenos negócios potiguares. Essa foi uma amostra dos resultados, obtidos através da articulação do Sebrae com instituições locais e governos, que o presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles, pôde conferir durante cumprimento de agenda no Rio Grande do Norte. Na terça-feira (20), a comitiva conheceu os projetos desenvolvidos pelo Instituto Metrópole Digital (IMD) e pelo Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGás -ER) e Instituto Senai de Inovação, que colocam o estado entre os polos importantes do país de estímulo à inovação aplicada ao setor produtivo, e o estabelecimento de políticas públicas, capazes de alavancar a força da livre iniciativa de forma desburocratizada.

“Estamos encantados com essa atuação do Sebrae aqui [no Rio Grande do Norte]. Dá para se tratar muito bem as parcerias”, reconheceu Carlos Melles ao ser recebido pela governadora do RN, Fátima Bezerra. Acompanhado do presidente da Associação Brasileira dos Sebrae Estaduais (Abase), Claudio Mendonça, do presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RN, Marcelo Fernandes de Queiroz, e dos diretores do Sebrae no Rio Grande do Norte José Ferreira de Melo Neto (Ssuperintendente). João Hélio Cavalcanti (técnico) e Marcelo Toscano (de Operações), os dois executivos finalizaram a agenda de visitas com uma reunião na Governadoria.

Fátima Bezerra ressaltou a parceria com o Sebrae para a sanção e implantação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas do RN, cujo estatuto foi assinado na semana passada, e da instalação dos serviços da Junta Comercial do RN (Jucern), além de outros órgãos reguladores de atividades empresariais, na área de atendimento na sede do Sebrae-RN, em Natal.

Ao presidente do Sebrae, a governadora lembrou do trabalho no Congresso Nacional junto à Frente Parlamentar em Defesa da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que ela e Melles integravam quando deputados federais. "Agora, na condição de governadora, tivemos a alegria de encaminhar o projeto para a Assembleia Legislativa. E, na semana passada, assinamos o decreto que regulamenta o Fórum Estadual". O Fórum Estadual Permanente das Microempresas, das Empresas de Pequeno Porte e dos Microempreendedores Individuais do Rio Grande do Norte (FEMPE/RN) é composto por 12 membros, representantes do poder público e de entidades empresariais.

“Aos poucos, estamos recuperando a capacidade de investimento do Estado. Paralelo a isso, as empresas estão expandindo os negócios e outras estão chegando para investir aqui”, relatou a governadora, juntamente com secretariado que integra a equipe econômica, citando a instalação de empresas no Distrito Industrial e os investimentos em energia limpa. Somente no setor de produção de energia eólica e solar, os projetos contratados somam mais de R$ 6 bilhões no primeiro semestre de 2021 e outros R$ 6 bilhões estão sendo contratados.

Antes da audiência com o governo, Carlos Melles havia visitado o CTGás-ER, que faz parte do Sistema Fiern e Senai, e viu de perto todo o aparato montado para dar suporte à indústria local, principalmente nas áreas de gás e energias eólica e fotovoltaica. Nos laboratórios do centro, são realizadas pesquisas de P&D com equipamentos exclusivos no país, como por exemplo, o túnel de vento, que serve para calibrar anemômetro de torres eólicas. Esse aparelho minimiza o custo de substituição desses do equipamento medidor da velocidade dos ventos, aumentando a vida útil e retardando a importação por parte do parque eólico.
A parceria do Sebrae com o CTGás-ER também facilitou a implantação de uma incubadora de startups dentro do centro, que favorece o desenvolvimento de soluções, pensadas por pequenas empresas, para o setor industrial, normalmente operado por corporações de grande porte, incluindo multinacionais. No local, há ainda um habitat de inovação, que serve de elo entre as indústrias e as startups do segmento de energia.

Da agenda de Carlos Melles no Rio Grande do Norte também constou de visita às instalações do Instituto Metrópole Digital, com qual o Sebrae está concluindo um projeto piloto, o Transforma RN, ação de capacitação intensiva desenvolvida por meio de uma rede integrada de instituições para aumento da produtividade e presença digital de 50 pequenas do segmento de alimentos e bebidas das regiões de Natal, Mossoró e Caicó, com recursos da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). A meta dos parceiros é fazer com que esse projeto seja expandido para o atendimento de mais 500 empresas.

O diretor geral do IMD, Ivonildo Rêgo, apresentou a estrutura e falou da atuação do parque tecnológico, ressaltando o papel do Sebrae, tanto no apoio à concepção, quanto na implementação de projetos, como o programa de incubadoras, e falou das pesquisas realizadas pelo Instituto para aproximar a inovação, concebida na academia, do setor produtivo. Ao lado do reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, o diretor expôs o potencial do IMD, que já conta com um programa de pós-graduação, cujo doutorado já foi criado com conceito 5 do MEC. Todo esse conhecimento tem favorecido a interdisciplinaridade de áreas e tem gerado resultados, como os obtidos nas áreas de bioinformática e nanotecnologia.