Emprego

Pequenos negócios geram 74,3% das vagas abertas em julho no RN

O segmento das micro e pequenas empresas criou 3.403 novos postos de trabalho no Rio Grande do Norte em julho deste ano. Já as médias e grandes empresas juntas foram responsáveis pela abertura de 1.146 novas vagas.

Natal- Pelo segundo mês consecutivo, o saldo de emprego formal no Rio Grande do Norte fica acima das 4,5 mil vagas criadas. Em julho, o estado abriu 4.578 novos postos de trabalho com carteira assinada, uma redução de apenas 2,7% em relação ao mês anterior. E os pequenos negócios foram os maiores responsáveis por esse desempenho positivo na geração de emprego no estado. Juntas, as microempresas e empresas de pequeno porte abriram 3.403 novas vagas, que representam 74,3% do saldo total de vagas do mês. O número é quase o triplo dos novos empregos abertos pelas médias e grandes empresas potiguares no último mês, quando essas organizações tiveram um saldo de 1.146 novos postos de trabalho criados.

Esses dados são do Mapa do Emprego no RN de julho, uma publicação elaborada mensalmente pelo Sebrae no Rio Grande do Norte, que analisa a evolução das contratações e demissões formais, tendo como base os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) referentes aos sete primeiros meses do ano. Desde janeiro do ano passado, o uso do Sistema do Caged foi substituído pelo eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas) para as empresas, o que traz diferenças na comparação com resultados dos anos anteriores a 2019. O boletim está disponível para visualização e download no portal do Sebrae (www.rn.sebrae.com.br).

O ritmo de contratações nas empresas de menor porte segue no azul desde o início deste ano e, com exceção de abril quando foi registrado um déficit de 184 vagas no estado, foram as empresas desses dois portes que seguraram o saldo de emprego, compensando a estagnação ou o déficit de postos de trabalho verificados nas médias e grandes companhias. Até agora, os pequenos negócios contrataram 20.708 trabalhadores a mais, entre janeiro e julho deste ano, e acabaram compensando as 4.090 vagas perdidas pelas médias e grandes empresas no período, deixando o saldo acumulado do ano positivo em 16.804 novas vagas abertas no Rio Grande do Norte.

De acordo com a análise do Sebrae, atualmente, o Rio Grande do Norte conta com uma massa de 449.045 trabalhadores contratados com carteira assinada, resultante de 15.902 demissões contra 11.324 desligamentos ocorridos no mês de julho. A quantidade de pessoas empregadas formalmente no Rio Grande do Norte é o quinto maior estoque de vagas do Nordeste. A posição em relação ao saldo em julho é a mesma na região, ficando à frente de Alagoas, Paraíba, Piauí e Sergipe.

De acordo com o Mapa do Emprego, as oportunidades de novos empregos formais no sétimo mês do ano surgiram principalmente nos municípios de Natal (2.042), Mossoró (676), Apodi (287), Parnamirim (206) e Baraúna (168). No ranking das cidades onde houve mais demissões, a liderança do maior número de desligamentos no mês ficou com Pedra Grande (-112), seguida de Canguaretama (-79), Coronel João Pessoa (-71), Caiçara do Rio do Vento (-56) e Arêz (-49).