No Seridó

Seminário apresenta facilidades da exportação para produtores

Promovido pelo Sebrae, o Seminário de Fomento ao Comércio Exterior no Seridó apresentou soluções acessíveis para as empresas locais expandirem as vendas para o mercado externo

Jéssica Barros ministrou palestra sobre marketing digital para exportadoresSerra Negra do Norte - Um boné produzido em Serra Negra do Norte, cidade do semiárido potiguar, pode chegar a Londres com o frete custando R$ 3,86 por unidade. A simulação foi feita durante o Seminário de Fomento ao Comércio Exterior no Seridó, promovido pelo Sebrae-RN e Correios, em Serra Negra do Norte, na noite desta quinta-feira (15). A iniciativa apresentou soluções acessíveis para as empresas locais expandirem suas vendas para o mercado externo. O município integra o Arranjo Produtivo Local (APL) de Bonelaria do Seridó, ao lado de Caicó e São José do Seridó, e a região é considerada o segundo maior polo boneleiro do país.

A estimativa do valor de frete para um pacote com 3 kg, contendo 30 bonés e partindo do interior do Rio Grande do Norte para Lisboa seria de R$ 212,00. Uma caixa com 20 kg e 200 bonés teria um frete de R$ 773,00 para o mesmo destino internacional, custando R$ 3,86 por produto. O cálculo foi feito por Geyson Eliakim, consultor de comércio exterior dos Correios, que apresentou o serviço Correios Exporta Fácil.

O Seminário mostrou que o serviço dos Correios facilita diversos processos que o exportador teria que fazer por conta própria, como tratar a liberação da carga junto à Receita Federal do Brasil (alfândega), realizar o despacho e o desembaraço aduaneiro, contratar empresa responsável na armazenagem da remessa em recinto alfandegado, contratar despachante para resolução de algumas situações ou realizar o serviço de capatazia aérea.

“O Exporta Fácil oferece facilidades para que os empresários, em especial de micro e pequenas empresas, possam exportar de qualquer lugar do Brasil para qualquer lugar do mundo”, garantiu Geyson. Segundo o consultor dos Correios, em pesquisa realizada em junho de 2019, o prazo médio de entrega para envios internacionais, partindo de cidades como Caicó, Currais Novos, Jardim do Seridó e Parelhas, foi de 9 dias úteis.

O Sebrae participou da programação discutindo a importância da gestão para exportação, com palestra de Paulo Ricardo Bezerra, analista da Unidade de Acesso a Mercados. “É preciso primeiro arrumar a casa! O Sebrae pode ajudar a empresa a organizar os processos e organizar sua gestão para atingir com os melhores canais o público alvo, ajudar a pesquisar o mercado para entender qual a demanda de cada país e contribuir no processo de organização das tarefas para contribuir com uma melhor exportação”, destacou Paulo Bezerra.

O analista do Sebrae lembrou que a falta de gestão é a principal causa da mortalidade de empresas. “Quando se quer exportar tem que ter tudo organizado, todos os processos definidos, pois o mercado internacional é muito exigente, ele define os padrões de qualidade, preços”, observou. Os passos iniciais devem ser pesquisar o mercado de atuação e entender a cultura, o que rege a legislação do país, depois desenvolver um produto adequado para a necessidade do cliente, seguindo as certificações e os padrões de qualidade.

Paulo Ricardo falou da  importância da gestão para exportaçãoA palestra do Sebrae apresentou cinco passos da gestão para exportação: definir uma estratégia de atuação; determinar operações que atendam a necessidade do cliente; realizar a gestão financeira da empresa; elaborar um plano de marketing; e fazer gestão de pessoas. “É fundamental gerenciar e garantir que a produção atenda à demanda sob prazos negociados com o cliente. Os principais aspectos das operações de negócios incluem planejamento de capacidade, análise e melhoria de produtividade, garantia de qualidade, controle de estoque e otimização na gestão”, enfatizou Paulo Bezerra. 

Outra exposição do Sebrae no Seminário foi a palestra “Marketing Digital para exportadores”, com a analista Jéssica Barros, também da Unidade de Acesso a Mercados. A apresentação mostrou que 7 entre 10 brasileiros estão conectados e 67% da população brasileira possui smartphone. Brasileiros gastam em média 9 horas por dia na internet e 70% estão em alguma rede social, o que representa 45% acima da média mundial.

“O digital chegou para ficar. É preciso ter foco no relacionamento na rede para atrair audiência e impulsionar as vendas”, destacou Jéssica Barros. Para a analista, as pessoas que pretendem vender pela internet devem considerar como medidas para ampliar fronteiras com as mídias digitais: ter uma página bilíngue; construir um perfil fácil de ser localizado; e comunicar claramente as principais informações, como preço, características do produto e prazo de entrega.

O prefeito de Serra Negra do Norte, Sergio Fernandes, participou da abertura do evento e destacou o papel do Sebrae e dos Correios no fomento ao comércio exterior. Ele lembrou que, apesar de ser uma cidade pequena, Serra Negra do Norte tem um grande potencial empreendedor e o setor têxtil gera 800 empregos diretos, com uma capacidade de produção de 1 milhão de bonés por mês. “O faturamento da agência dos Correios daqui chega a superar o de cidades maiores do Seridó, principalmente com a postagens de produtos que são comercializados para outros estados. Mais de 100 pessoas lidam com a comercialização de bonés, em grande parte pela internet”, observou o prefeito.

O Banco do Nordeste também participou da programação e destacou produtos e serviços de câmbio e comércio exterior. O Seminário de Fomento ao Comércio Exterior no Seridó contou com apoio da Prefeitura de Serra Negra do Norte e do Banco do Nordeste e aconteceu na Casa da Cultura Popular Oswaldo Lamartine de Faria, com programação gratuita.

Serviço:
www.rn.agenciasebrae.com.br
http://www.rn.sebrae.com.br
http://www.facebook.com/SebraeRN
http://www.twitter.com/SebraeRN
Call Center: 0800 570 0800
Agência Sebrae de Notícias (ASN RN): (84) 3616-7911