Inovação

Serviços do Sebraetec ampliaram as vendas de 36% dos empresários

O Sebrae disponibilizou serviços gratuitos do programa na área de design de comunicação e a ação influenciou positivamente nas vendas, faturamento e no número de clientes

Natal – Engana-se quem pensa que um cardápio de delivery bem elaborado, um cartaz promocional bem feito ou um banner para redes sociais de forma profissional é indiferente para melhoria do negócio. Uma pesquisa do Sebrae no Rio Grande do Norte aponta que os serviços na área de design foram determinantes para tirar muitos empreendedores do sufoco nesse momento de pandemia. 36% dos empreendedores que contrataram os serviços gratuitos do programa Sebraetec nessa área, o chamado Sebraetec Design, registraram aumento nas vendas e outros 53% tiveram estabilidade nas vendas, demonstrando a importância do serviço para frear o prejuízo dos empresários.

A pesquisa ouviu 200 empreendedores, entre Microempreendedores Individuais (MEI), donos de microempresas e proprietários de empresas de pequeno porte do estado, dos setores da indústria, comércio e serviço que recorreram ao Sebratec em tempos de pandemia. Realizada entre os dias 11 e 16 de maio, a sondagem também constatou que, desse total, 32% conseguiu aumentar o faturamento do negócio depois da contratação dos serviços, que eram temporariamente gratuitos.

Outro dado relevante é que, mesmo desconsiderando quem não teve aumento de receita, uma maioria conseguiu estabilidade no faturamento da empresa em plena vigência das medidas restritivas. 43% dos empresários afirmaram que as receitas do negócio permaneceram estáveis após a adoção dos serviços ofertados pelo Sebrae.

O trabalho também foi decisivo para abranger um maior número de consumidores e incrementar a clientela do estabelecimento.  52% do empresariado entrevistado garantiu que com as medidas de comunicação e design a quantidade de clientes do estabelecimento aumentou e outros 35% disseram que continuo estabilizada, enquanto a maioria das empresas assistiu atônita e passivamente a debandada de clientes, temendo o contágio da doença.

O Sebrae quis saber sobre os reflexos dos serviços e consultorias prestadas na qualidade e o retorno foi positivo. Quase a metade (47%) dos empreendedores que recorreram ao Sebrae buscando ajuda para driblar a crise afirmou que a qualidade dos produtos ou serviços melhorou após a intervenção. O mesmo ocorreu com a modernização da empresa, um destaque para 55% dos entrevistados.