Maratona de Ideias

Social Hack desafia jovens a buscar soluções para problemas ambientais

Promovida pelo Sebrae, a terceira edição do Social Hack começa na próxima sexta-feira (24). A competição será inteiramente online e vai premiar com mais de R$ 60 mil as ideias mais inovadoras em prol do meio ambiente.

Natal – Jovens de todo o país serão desafiados a pensar novas ideias e soluções inovadoras para os problemas ambientais das cidades brasileiras durante a terceira edição do Social Hack, uma maratona de inovação, tecnologia e criatividade promovida pelo Sebrae. As inscrições para a competição encerram nesta quarta-feira (22) no site do evento (https://socialhackonline.com). A Maratona de Ideias começa no dia 24, de forma remota, e vai durar todo o fim de semana. Os participantes irão desenvolver ideias de negócios relacionadas à sustentabilidade. Os autores dos melhores projetos receberão R$ 60 mil em prêmios.

Auxiliados por um time de mentores ligados a empresas, como o Sebrae, Instituto Butantan, IBM, Stefanini Grupo e Fiocruz, os jovens formarão equipes que cumprirão os desafios da competição de ideias inovadoras, de base tecnológica, para resolução de problemas ambientais. “Vamos colocar três desafios sobre o meio ambiente para que os estudantes, universitários e demais interessados no tema possam desenvolver as soluções para esses desafios. Os projetos precisam ser de base tecnológica, sustentáveis e que possam responder aos grandes desafios do meio ambiente”, adianta a gestora do projeto de Impacto Social do Sebrae no Rio Grande do Norte, Mona Paula Nóbrega.

Os desafios do Social Hack estarão relacionados a questões, como geração de resíduos sólidos, crédito de carbono e cidades mais sustentáveis, entre outros temas. O resultado final será divulgado no dia 29 deste mês.Na última edição do Social Hack, foram mais de 400 jovens participando dos desafios da maratona. E nesta edição os inscritos vão mergulhar nas problemáticas ambientais enfrentadas no Rio Grande do Norte e no Brasil como um todo e pensar soluções que possam responder esses desafios.

“As ideias precisam gerar um impacto positivo no meio ambiente, mas também devem gerar lucro para quem concebeu a ideia de negócio. Vamos selecionar uma equipe de vencedores para que eles participem da segunda fase do programa, que vai ser a fase de tirar essas ideias do papel e colocá-las em prática”, diz Mona Paula. Os seis melhores projetos ganharão ainda bolsa integral em um dos programas de pré-aceleração promovidos pelo StartupDays. Além dos prêmios e das bolsas, o participante de um hackathon como o Social Hack só tem a ganhar, pois o evento pode contribuir para ampliar o networking e o contato com mentores e palestrantes renomados no país, extremamente qualificados, que podem ajudar a transformar uma ideia em um negócio.